×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 882

Pode-se dizer que o Biribol surgiu como um esporte alternativo, ou seja, todos aqueles que não são praticados habitualmente (ESCÁMES, 1998, p. 11).

Em meados da década de 1950 um grupo de amigos se reunia aos finais de semana na casa dos amigos para uma simples confraternização, onde neste grupo de amigos se encontrava Dario Miguel Pedro, que nas devidas circunstancias, por ser integrante do time de voleibol da cidade.


Porém, por ser um atleta, precisavam encontrar algo que lhe distraísse e também chamasse a atenção de seus amigos. Foi então que teve a ideia de usar a piscina da casa com mais um dos amigos, e de posse de uma bola qualquer se fez uma linha imaginaria que dividia a piscina em duas partes iguais, como uma quadra e preconizaram a regra que determinava, quando a bola caísse na água de um dos lados, o ponto seria para quem tivesse efetuado o lance.

Depois de um tempo da brincadeira, ele conseguiu com que seus amigos notassem a mesma e se interessassem por ela; assim ele começou a notar as dificuldades e facilidades da brincadeira, observando seus amigos, assim a brincadeira se tornou característica das confraternizações.

De acordo com as necessidades, tiveram que substituir a linha imaginária por um cordão amarrado em cadeiras nas laterais, pois a linha imaginária já estava gerando discussões, consequentemente foi obrigado a procurar alguém que lhe fizesse algo parecido com uma rede de vôlei, só que em proporção as medidas da piscina, mas, pelas dificuldades de acesso e outras mais, a mesma foi feita por um pescador.

Neste ponto da brincadeira Dario observava que o jogo já estava tendo algumas boas disputas e no momento ele havia estipulado o número de quatro jogadores para cada lado, assim começou a notar também que a piscina utilizada até então não era perfeitamente adequada para a prática, pois um dos lados da piscina era mais fundo que o outro, tendo 120 cm de um lado e 100 cm de outro, onde no lado mais raso notava-se certa dificuldade quanto à execução dos movimentos dos jogadores, principalmente a falta de equilíbrio que esta profundidade lhe proporcionava, assim era comum que os integrantes do lado mais raso caíssem sobre a rede ou tocassem nela, validando o ponto para equipe adversária.

Com a brincadeira conquistando cada vez mais os amigos, Dario começou a procurar mais amigos que tivessem piscinas em casa, que na época eram feitas apenas por status, pois onde a população frequentava mesmo as piscinas eram em clubes. Após ter feito varias experiências em vários tipos de piscina, Dario teve a grande oportunidade de tentar fazer a piscina ideal, pois, um de seus amigos que participava da brincadeira, iria construir uma casa e pediu para que Dario fizesse o desenho da piscina ideal para a pratica do então Frescobol.